quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Imperfeitos.


"Quem lhes deu a verdade absoluta? 
Nada é absoluto. 
Tudo se transforma, tudo se move, tudo gira, tudo voa e vai."
Frida Kahlo

Eu quero pessoas falhas perto de mim. Cansei de gente certinha, gente que se diz "íntegra" e na primeira oportunidade se mostra sem caráter. Julgamentos não nos levam à nada. Por isso, eu digo, quero defeitos, quero pessoas verdadeiras, pessoas que erram e se mostram prontas para evoluir. Uma vez que você se acha "do bem", você não acredita que precisa mudar. A noção de superioridade tira a clareza de pensamentos. Eu tenho uma surpresa para você, você falha, eu falo, todos falhamos. O ego está aí para isso, para que fechemos os olhos ao verdadeiro, na crença de que já aprendemos o que deveríamos ter aprendido. Nada disso. Estamos em constante evolução (ou, ao menos, deveríamos estar). É necessária uma mudança interna, um desapego do ego, desprendimentos das nossas verdades. Gandhi já dizia "seja a mudança que você quer ver no mundo" e eu acrescento "mas seja mesmo, não apenas diga ser". É preciso viver o que se diz. Precisamos entender que não existe apenas uma verdade, há vários pontos de vistas, pessoas com histórias diferentes das nossas e que não por isso são menos certas. Somos eternos aprendizes e falhamos. Somos imperfeitos. Quando aceitamos isso, quando assumimos nossas falhas e acreditamos que tudo é aprendizado, evoluímos. Há pessoas que acreditam ser a última bolacha do pacote e esquecem que a última bolacha quase sempre vem quebrada.